1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer
  • A garantia da qualidade de ensino constitui actualmente uma preocupação a nível nacional e internacional. Em Moçambique, a garantia da qualidade no ensino superior constitui uma preocupação não apenas do Governo e das Instituições do Ensino Superior (IES), mas também da sociedade em geral.

  • A garantia da qualidade de ensino constitui actualmente uma preocupação a nível nacional e internacional. Em Moçambique, a garantia da qualidade no ensino superior constitui uma preocupação não apenas do Governo e das Instituições do Ensino Superior (IES), mas também da sociedade em geral.

  • A garantia da qualidade de ensino constitui actualmente uma preocupação a nível nacional e internacional. Em Moçambique, a garantia da qualidade no ensino superior constitui uma preocupação não apenas do Governo e das Instituições do Ensino Superior (IES), mas também da sociedade em geral.

  • A garantia da qualidade de ensino constitui actualmente uma preocupação a nível nacional e internacional. Em Moçambique, a garantia da qualidade no ensino superior constitui uma preocupação não apenas do Governo e das Instituições do Ensino Superior (IES), mas também da sociedade em geral.

  • A garantia da qualidade de ensino constitui actualmente uma preocupação a nível nacional e internacional. Em Moçambique, a garantia da qualidade no ensino superior constitui uma preocupação não apenas do Governo e das Instituições do Ensino Superior (IES), mas também da sociedade em geral.

A garantia da qualidade de ensino constitui actualmente uma preocupação a nível nacional e internacional. Em Moçambique, a garantia da qualidade no ensino superior constitui uma preocupação não apenas do Governo e das Instituições do Ensino Superior (IES), mas também da sociedade em geral.
Por essa razão, o Conselho de Ministros criou em 2007 o Sistema Nacional de Avaliação, Acreditação e Garantia de Qualidade do Ensino Superior (SINAQES) para responder à expectativa da sociedade em geral e em particular aos anseios dos moçambicanos no desenvolvimento económico e sociocultural, garantindo assim,   o provimento de serviços de excelência, pela necessidade de competir a nível nacional, regional e internacional.

Devido a dimensão e complexidade actual da Universidade Eduardo Mondlane como instituição que sempre se afirmou como um exemplo vanguardista entre as Instituições de Ensino Superior nacionais, torna-se necessário a implementação de sistemas de garantia de qualidade mais modernos, baseados em padrões nacionais e internacionais.

Por essa razão, e para responder aos anseios da sociedade em geral, em Maio de 2013 foi criado o Gabinete para Qualidade Académica (GQA) com os seguintes objectivos: a) Conduzir o processo de elaboração dos instrumentos para avaliação dos indicadores do sistema, com base em propostas dos departamentos e faculdades; b)Facilitar e guiar a auto-avaliação dos cursos pelos Departamentos e Faculdades/escolas; c) Organizar e facilitar as avaliações externas, garantindo a articulação entre os departamentos e faculdades e os organismos responsáveis pela avaliação externa (CNAQ); d)Proceder a análises e elaborar recomendações sobre acções de melhoria a nível da UEM necessárias tendo por base os processos de auto-avaliação interna e externa; e)Fazer a divulgação dos resultados da avaliação; f)Organizar e facilitar a formação dos principais intervenientes sobre os mecanismos, procedimentos e instrumentos do SISQUAL-UEM; g)Disseminar a nível da comunidade universitária os objectivos, princípios, mecanismos, procedimentos e instrumentos e estrutura organizacional do SISQUAL-UEM.
Para o início das suas actividades, o GQA priorizou a auto-avaliação dos cursos e encontra-se neste momento a implementar o primeiro ciclo de auto-avaliação dos cursos em 15 faculdades/escolas da UEM. 
O processo da auto avaliação de cursos exige a recolha de informação a todos níveis nomeadamente: docentes, CTA, graduados, estudantes e empregadores, razão pela qual o GQA desde já apela a toda a comunidade universitária a participar e contribuir neste processo de modo a obter resultados fiáveis em relação aos pontos fortes e fracos que a nossa instituição de ensino superior apresenta.